Segunda, 06 25th

Last updateQua, 30 Mai 2018 12pm

Quem Fala - Por Dentro do HCL 068/2018

Nesta edição, quem fala é Diretor Médico-Técnico Dr. Claudio Camacho. Médico há 40 anos e especialista em cirurgia geral e do aparelho digestivo, Dr. Camacho está no HCL desde 2013, quando foi convidado a assumir a cadeira no Conselho Gestor. 

Sob seu comando está a área Médico-Técnica, que trata de questões relacionadas à assistência oferecida aos pacientes por meio da garantia do cumprimento das disposições legais e regulamentares; da disponibilidade dos melhores recursos, técnicas, ferramentas e condições de trabalho ao corpo clínico; entre outras atribuições.

É também uma das tarefas do diretor Médico-Técnico a participação ativa no desenvolvimento e execução do planejamento estratégico da instituição. Desde que entrou no HCL, Dr. Camacho participou e contribuiu para diversas mudanças e melhorias no sistema assistencial.

Ele destaca a reforma e ampliação do Pronto Atendimento (PA), ala recentemente reinaugurada e voltada para o atendimento dos pacientes da instituição em situação de urgência ou emergência. 

“Com um médico permanente, disponível 24 horas, e estrutura adequada, conseguimos aprimorar a qualidade da assistência oferecida aos nossos pacientes e promover a melhoria de nossos serviços”, explica.

As mudanças no PA garantiram uma estrutura completa, com recepção exclusiva, banheiros, dez leitos distribuídos pelas salas de emergência, de triagem, de observação e de inalação, além de sala de coordenação, posto de enfermagem, copa e quarto para o plantonista. 

Além desta ala, as obras também foram estendidas ao Ambulatório, inaugurado em 2013, e ao setor de Endoscopia, entregue oficialmente em 2016. Ao todo, mais de 800 metros quadrados foram modificados e ampliados por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON), do Ministério da Saúde.

Outra obra que também contribuiu de forma positiva para o aprimoramento do sistema assistencial e que complementou o atendimento pediátrico oferecido pela instituição foi a UTI Pediátrica, entregue em 2015. “É um setor muito importante. Antes disso, quando o paciente precisava de cuidados intensivos, tínhamos de encaminhá-lo a outro local que dispusesse da estrutura e dos recursos necessários”, explica. 

Mas as melhorias não se resumem às obras. O diretor destaca também a reformulação do ambulatório de oncologia e de quimioterapia, que, entre 2016 e 2017, tiveram um grande crescimento na demanda. “Houve um aumento significativo, que nos exigiu a reformulação de todo o sistema de atendimento, com investimento em mais profissionais”, conta.

O volume de cirurgias de grande porte também cresceu significativamente nos últimos anos: de 2012 para 2017 foram mais de 60% de aumento. O diretor destaca, no entanto, que isso só foi possível graças à ampliação do Centro Cirúrgico, que em 2013 passou de quatro para seis salas. 

A Radioterapia, por sua vez, outro serviço de extrema importância para a assistência ao paciente oncológico, já funciona em sua capacidade máxima. Mas Dr. Camacho explica que planos de expansão e reformulação já estão em andamento.

As mudanças virão com a execução do projeto “O fator humano na busca pela excelência”, elaborado pela Gestão de Ações Estratégicas e Projetos do HCL em conjunto com as gestões de Enfermagem e Administrativa e aprovado recentemente no Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) do Ministério da Saúde.

No documento, está prevista a expansão do setor, além da melhoria nos equipamentos já existentes e a aquisição de um novo acelerador linear.

Com isso, o hospital pretende ampliar a oferta de atendimentos para a Radioterapia e agilizar o atendimento, com segurança e humanização nos serviços prestados por meio da disposição de tecnologias mais avançadas e menos invasivas.

Além disso, Dr. Camacho ressaltou outros projetos que terão sequência em 2018, como o de segurança do paciente, a implantação do prontuário eletrônico e o trabalho das comissões internas, que desenvolvem atividades focadas em diferentes áreas.

O primeiro está alinhado ao protocolo de segurança do paciente preconizado pela OMS e difundido pelo Ministério da Saúde e trata de seis premissas: identificação correta do paciente; melhorar a comunicação entre profissionais da saúde; melhorar a segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos; assegurar cirurgia em local de intervenção, procedimento e paciente corretos; reduzir riscos de infecção; e reduzir quedas e lesão por pressão.

“Estamos trabalhado em conjunto com o Núcleo de Segurança do Paciente de forma sistêmica, através de ações de conscientização, treinamentos e atividades específicas voltadas para todos os colaboradores da instituição, não apenas aqueles que fazem parte das equipes assistenciais. Com isso, o objetivo é estimular uma consciência de segurança e, consequentemente, tornar a estadia do paciente no hospital mais eficaz e segura em qualquer situação”, explica.

Da mesma forma, está sendo desenvolvido o projeto de implantação do prontuário eletrônico. O trabalho, que vem sendo feito pela Direção Médico-Técnica e pelo setor de Tecnologia da Informação, tem por objetivo registrar todas as informações úteis de cada paciente de forma informatizada.

“Quando um paciente chega aqui precisamos fazer um registro eletrônico de qual é o tipo de tumor, em qual estágio está, que tipo de tratamento ele vai receber, evolução do quadro etc.”, explica.

Este protocolo, segundo o diretor, promove a segurança das informações e do próprio paciente, além de beneficiar também as equipes médica e assistencial na escolha das condutas a serem tomadas.

As comissões internas também contam com membros representantes de setores variados e da equipe médica. Dentre as várias que estão em atividade junto às gerências Administrativa e de Enfermagem, o diretor destacou as comissões de Controle de Infecção Hospitalar, de Revisão de Prontuários e de Análise de Óbitos, de Ética Médica e de Suporte Nutricional. Ao longo do tempo, outras comissões devem ser criadas e iniciar os trabalhos de forma permanente e constante, cada uma em sua alçada de atuação.

Sobre os objetivos de todos estes projetos, tanto os que já foram implantados quanto os que ainda estão em processo de desenvolvimento, Dr. Camacho é categórico: “trabalhamos 24 horas por dia aqui para duas coisas: oferecermos boas condições de trabalho aos profissionais e para que aqueles que precisam do hospital encontrem o melhor atendimento possível”.

Foto: Assessoria HCL

Você está aqui: Home O Hospital Notícias Quem Fala - Por Dentro do HCL 068/2018