Quarta, 09 20th

Last updateTer, 15 Ago 2017 10am

Pesquisa Clínica

O Instituto de Câncer de Londrina iniciou suas atividades em Pesquisa Clínica no ano de 2010 e  desde então, busca excelência na condução de protocolos clínicos, trabalhando com ética, atendendo às resoluções vigentes e atuando segundo às Boas Práticas Clínicas.
 
Para o desenvolvimento e condução dos protocolos clínicos, o Instituto de Câncer de Londrina   conta  com uma equipe capacitada composta por 3 médicos oncologistas, 4 enfermeiros, 2 farmacêuticos e 2 técnicos em enfermagem. Além de toda a infra estrutura hospitalar, o ICL disponibiliza uma sala equipada com farmácia  e arquivo  restrito à pesquisa.
 
Mas o que é “Pesquisa Clínica”?
 
Pesquisa Clínica é “qualquer investigação em seres humanos, com o objetivo de  descobrir ou verificar os efeitos, farmacológicos, clínicos e/ou outros efeitos farmacodinâmicos de produto(s) e/ou identificar reações adversas ao produto(s) em investigação e/ou estudar a absorção, distribuição, metabolismo e excreção do produto investigacional,  com o objetivo de averiguar sua segurança e/ou eficácia."(EMEA, 1997) 
 
É importante lembrar que antes da avaliação em seres humanos, os  aspectos de segurança são avaliados em testes pré-clínicos: testes em laboratórios e em animais de experimentação. O objetivo principal desta fase é verificar como esta substância se comporta em um organismo. 
 
Após este período inicía-se os testes em humanos, os quais subdividem-se em 4 fases:
 
Fase I:  Envolve uma pequena população de voluntários saudáveis, com o objetivo de conhecer dados sobre segurança e toxicidade, absorção, distribuição e metabolismo do novo medicamento.
 
Fase II:  Esta ocorre após a fase ter alcançado seu objetivo. Envolve uma população de 100 a 200 pacientes afetados pela doença ou condição para qual o novo medicamento foi desenvolvido, objetivando verificar a segurança e eficácia do medicamento, ou seja, busca estabelecer a relação dose-resposta. 
 
Estudo Fase III:  Tem o objetivo de determinar dados de segurança eficácia a curto e longo prazos.São avaliadas as reações adversas e interações com uma variedade de fatores como idade, sexo, outros medicamentos, etc. Esta fase envolve um número maior de voluntários,  todos portadores da doença ou condição para a qual o medicamento foi desenvolvido.
 
Estudo Fase IV:  Nesta fase o novo produto já foi aprovado e registrado. Objetiva-se explorar novas reações adversas e estabelecer seu valor terapêutico em uma população muito maior que a envolvida nos estudos anteriores, assim como confirmar os resultados já obtidos.
Você está aqui: Home Pesquisa Clínica